21.10.10

MEEEEEEDDDDDOOOOOOO...

Era uma vez um menino que tinha medo do escuro...
Era uma vez um menino que tinha medo de altura...
Era uma vez um menino que tinha medo do mar...
Era uma vez um menino que tinha muitos medos...
Era uma vez um menino...
Era uma vez o MEDO!!!



Era uma vez um menino que deixou que o medo atrapalhasse suas escolhas...
Este medo o levou a pensar melhor e desistir...
Escolhas ruins...
Escolhas perigosas...
Escolhas duvidosas...
Até algumas escolhas boas... (Pobre menino!)
Era uma vez um menino que deixou o medo ajudá-lo em suas escolhas...
Este medo o permitiu refletir ante elas...
Escolhas difíceis...
Escolhas necessárias para seu crescimento...

Nossos medos não são mais que um MAR.
Paramos diante da praia, olhamos nosso alvo...
Então, pensamos: "Como chegaremos lá?"
"Vale mesmo a pena este sacrifício?"
Outros medos podem nos fazer parar e desistir nessa hora, assim como os objetivos infundados e inúteis também o fazem!

Então, em meio a pensamentos desistimos ou continuamos!

Se não houvesse o medo?
Se não houvesse nada que nos fizesse pensar?

Afundaríamos sem piedade neste mar...

Por isso não podemos dizer que o medo seja ruim ou bom...
É como a água:

"Em excesso, faz mal
Escassa, idem...
Mas na medida certa, mantem-nos saudáveis"

Acredito que o medo seja uma lanterna na mão daquele que tem juízo.
Saibamos utilizar da forma correta aquilo que possuímos!

Se não houvesse o medo da morte, para quê viveríamos?

(Texto e imagem - Autoria: Rael Mares)

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "Por isso não podemos dizer que o medo seja ruim ou bom..."
    Olha o instinto de conservação aí!
    Medo é parâmetro, não pode ser diretriz.
    Gostei bastante desse post.

    pa.râ.me.tro
    sm (para2+metro2) 1 Mat Quantidade que entra na equação de uma curva e se pode fazer variar sem alterar a natureza dessa curva, como, por exemplo: o raio da circunferência em x2+y2=R2. 2 por ext Todo elemento cuja variação de valor altera a solução de um problema sem alterar-lhe a natureza. 3 Miner Distância da origem do eixo cristalográfico ao ponto em que corta a respectiva face do cristal.

    di.re.triz
    adj (lat diretrice) Feminino de diretor. Que dirige: A voz diretriz do maestro. sf 1 Linha fixa, ao longo ou em volta da qual se imagina correr outra linha ou uma superfície, para produzir uma figura plana ou um sólido. 2 Linha segundo a qual se traça um plano de qualquer caminho. 3 Conjunto de instruções ou indicações para se levar a termo um negócio ou uma empresa. D. de uma seção cônica: linha cuja distância a qualquer ponto de uma seção cônica está numa razão fixa para a distância do mesmo ponto a um foco.

    ResponderExcluir